quarta-feira, 14 de janeiro de 2015

A cidade futurista

a cidade é um pomar de radares
se Marinetti nos visse a velocidade
questionaria o que dera errado

as ruas se abrem às bicicletas
as calçadas se alargam, os pedestres
têm preferência no trânsito

que futuro fizeram, brame o italiano,
nascido no Egito, em Alexandria,
síntese da civilização antiga

abolimos o dinamismo, meu poeta,
e embora grassem as bicicletas

a plenos pulmões voa o fascismo.